Manoel Congo e Marianna Crioula

Manoel Congo e sua companheira, Marianna Crioula, são importantes símbolos da resistência dos negros contra a escravidão, pois foram líderes da maior rebelião de escravos já ocorrida na região do Vale do Café. Em 1838, motivada, inicialmente, pela revolta contra a morte de um escravo do capitão-mor Manuel Francisco Xavier, espancado pelo capataz de uma de suas fazendas, houve uma fuga em massa que teria contado com a adesão de cerca de 300 ou 400 negros de diversas fazendas da região de Paty do Alferes-RJ. Contava-se que Manuel Congo era um negro forte e habilidoso, de pouca fala e sorriso escasso. Pertencia ao capitão-mor de ordenanças Manuel Francisco Xavier, dono de centenas de escravos e das fazendas Freguesia e Maravilha em Paty do Alferes. Era ferreiro, ofício que requer treinamento e habilidade, o que certamente lhe dava status superior entre os outros escravos e maior valor econômico perante os senhores. Marianna Crioula era uma escrava, nascida no Brasil, com cerca de 30 anos na época. Era costureira e mucama (escrava de companhia) de Francisca Elisa Xavier, esposa do capitão-mor Manuel Francisco Xavier. Foi descrita como sendo a “preta de estimação”, assim como uma das escravas mais dóceis e confiáveis da sua patroa. Manoel Congo e Marianna Crioula provavelmente viveram como casal, tanto que os dois foram posteriormente delatados como o “rei” e “rainha” do grupo de sublevados.
Sete réus foram condenados a “650 açoites a cada um, dados a cinquenta por dia, na forma da lei”, e a “três anos com gonzo de ferro ao pescoço”. A maior surpresa foi a absolvição de Marianna Crioula e todas as mulheres, certamente a pedido de sua proprietária Francisca Elisa Xavier. Entretanto, Marianna Crioula ainda foi obrigada a assistir à execução pública do seu companheiro Manuel Congo.
No dia 6 de setembro de 1839, Manuel Congo subiu ao cadafalso no Largo da Forca em Vassouras, para cumprir sua “pena de morte para sempre”, isto é, foi enforcado e ficou sem sepultamento.

Um comentário:

Anônimo disse...

Sou Portuguesa e estou a pesquizar a luta dos escravos no Brasil e preciso de informacoes...

email: angelareis1989@yahoo.com