Fazenda Guaritá - Rio das Flores RJ

Em meados da década de 1860, Peregrino José da América Pinheiro (Barão de Ipiabas), desmembrou uma porção de terras da sua Fazenda Campos Elíseos, doando-a ao seu filho Francisco Pinheiro de Souza Werneck. Francisco, com pouco mais de 20 anos de idade, deu inicio à abertura de sua fazenda que passou a ser denominada “Fazenda do Guaritá”, cuja denominação está na árvore deste nome, muito comum nas matas da região. Francisco só habitou a fazenda por volta de 1875, quando da conclusão da construção da sede. Em 1882, foi agraciado com o título de segundo Barão de Ipiabas. Em 1899, o Barão hipotecou a fazenda ao Banco Hipotecário do Brasil, conseguindo no ano seguinte sua quitação. Em 30 de maio de 1900, o Barão de Ipiabas desistiu do café e vendeu a fazenda por 70 contos de réis, ao primo João Luis de Almeida Ramos e se mudou com a família para o Rio de Janeiro. Após ser administrada por vários proprietários, desde a década de 1990 a Guaritá é propriedade de um empresário carioca, que vem realizando excelente trabalho de conservação da fazenda. Localização: Estrada do Guaritá, sub-distrito de Comércio, Taboas.
Estação Barão Fritz Von Utzeri
A estação, e a linha férrea denominada “Estrada de Ferro Fazenda Guaritá”, foram construídas dentro da fazenda pelo atual proprietário, destinada exclusivamente ao lazer da família e convidados.

Um comentário:

Bananal, my history, my city, my life. disse...

Ainda há uma coleção de carruagens na fazenda? Fui lá com meus pais quando era criança.