Igreja Matriz de Nosso Senhor dos Passos - Rio Preto MG

Francisco Tereziano Fortes, filho do guarda-mor Francisco Dionísio Fortes, herdeiro de grandes haveres e possuidor de bela fortuna, legou, em testamento, certa importância e determinada quantidade de arrobas de café para a construção de um novo templo. Seus herdeiros, cumprindo suas últimas vontades, começaram a construir na praça central da vila a nova igreja Matriz. O construtor responsável por erguer a Igreja, João Alves Garcia, faleceu antes da conclusão da obra, sendo então contratado o arquiteto catalão, José Maria Vilaronga, recém chegado da Europa, para dar continuidade às obras. Por este motivo, pode-se notar dois estilos de época distintos predominantes em sua arquitetura: toda a sua estrutura segue o estilo barroco enquanto que o acabamento interno e das janelas, seguem o neoclássico, com suas formas simples e o predomínio de cores claras.A Viscondessa do Monte Verde, Maria Tereza de Souza Fortes, viúva de Tereziano Fortes, logo após a inauguração da Igreja Matriz, que ocorreu a 26 de setembro de 1860, mandou dar cartas de alforria a todos os escravos que trabalharam em sua construção e os presenteou com pedaços de terras. Ordenou ainda que fossem soltos os animais que tivessem prestado serviços na construção.
(Fachada lateral da Igreja)

Um comentário:

Bananal, my history, my city, my life. disse...

Olá Nikson,

Parabéns pela exposição do Sesc. Passe no curso quando der para pegar uma lembrança que Papai Noel deixou para você para alegrar a confraria de amizades que forma em tantas estradas, descobertas, trilhas e passeios. Beijo no coração. da sempre amiga e fã de seu incrível trabalho de resgate e pesquisa.