Fazenda das Antinhas - Bananal SP

A extinta fazenda das Antinhas foi uma das maiores propriedades rurais do município de Bananal, e com certeza a maior no Distrito de Rancho Grande. Em 1855 seu proprietário era o Padre Bento José Duarte, e em seu inventário, a fazenda era composta por uma casa de vivenda com seis janelas e uma porta na frente, três salas, alcovas, uma sala de jantar e cozinha; de fronte havia uma Capela, com onze portas e janelas em seu entorno. Havia também uma casa com riba, uma casa de carapina, uma tenda de ferreiro; um engenho de socar café e máquina de beneficiamento. Em forma de L, a senzala, com trinta laços, tinha suas portas avarandadas e voltadas ao terreiro de café, e abrigava os 137 cativos da fazenda. Do lado oposto da senzala ficavam as tulhas. Em 1861, a fazenda das Antinhas foi adquirida por Laurindo José de Almeida, o Visconde de São Laurindo. Além de dar continuidade as atividades agrícolas, o Visconde deu início a criação de cavalos de raça, e em 1875 trouxe para a fazenda um especialista nesse tipo de criação e domação, também promoveu na fazenda um curso para criadores no município. Além das Antinhas, o Visconde foi proprietário das fazendas São Geraldo e Laranjeiras, em Bananal, e a fazenda da Barra no município de São José do Barreiro.
Imagem: Coleção particular Família Almeida/Vallim

3 comentários:

Bananal, my history, my city, my life. disse...

Nossa. Adorei esta postagem! Onde arrumou esta foto? É de algum livro? Quero saber mais desta fazenda para trabalhar com as crianças. O comprador é o nome da escola deles (do estado). achei interessante o proprietário anterior ser um padre!Bjo no coração e parabéns sempre e sempre pelo magnífico trabalho!

Ana Roberta disse...

Oii Nilkson, Oiii Rô!!


Fico muito contente em ler o artigo. Tenho fotos dessa fazenda. Assim que der, vou postar e dividi isso com vcs.


Um beijo

Ana Roberta

"Cuidai de vossos monumentos e não sentireis a necessidade de restaurá-los. Qualquer lâmina de chumbo colocada sobre o telhado, algumas placas de beiral espaçadas no tempo salvarão o telhado e a parede.
Supervisionai o velho edifício com cuidado dedicado, protegei-o o melhor que puderdes, e a qualquer custo, de qualquer influência dilapidadora.
Contai-lhes as pedras, vigiai-o; cingi-o com ferro onde está desfazendo, sustentai-o com madeiramento onde declina, dai-lhe este pensamento: - vale mais uma muleta do que uma perna a menos.
Fazei isto com ternura, com reverência constante e muitas gerações nascerão ainda e passarão sob sua sombra!”• John Ruskin

Ana Roberta disse...

Opa, essa é meu RANCHÃOOOOOOOOOO!!! Que Bananal que nada, Rancho Grande meu amor!