São José do Barreiro - SP

Aproveitando os caminhos indígenas que ligavam a serra ao litoral por volta do séc. XVII, tropeiros vindos de Minas Gerais fizeram destes caminhos suas rotas de comércio. Desciam a serra carregados com o ouro mineiro para ser embarcado nos portos de Mambucaba e Paraty, e subiam com peixe seco, cachaça, farinha e outros mantimentos que eram comercializados no percurso de volta a Minas Gerais. Uma das travessias de rio no caminho, com o constante tráfego de tropas, transformou-se num grande atoleiro que muito dificultava a passagem das tropas. Em épocas de cheia, as tropas eram obrigadas a aguardar que as águas baixassem para poder transpor o obstáculo cheio de barro. Com o tempo, surgiram ranchos de descanso para os tropeiros, e o local passou a ser conhecido como "Barreiro". Vindos de Minas Gerais, o Capitão Fortunato Pereira Leite, seus irmãos e cunhado João Ferreira de Souza aqui se estabeleceram e fundaram um arraial nas proximidades do "Barreiro", nos fins do séc. XVII. Abriram-se então inúmeras fazendas para o plantio de café que logo tornou-se a grande riqueza da região. Em l820 foi erguida no local, uma capela dedicada a São José e, em virtude do local ser conhecido como "Barreiro" e da capela dedicada a São José, o arraial passou a se chamar São José do Barreiro, sendo elevado a município em 09 de março de 1859. As imponentes fazendas do café e os sobrados e casarões, hoje são marcos da época em que o município ocupou importante lugar na cafeicultura paulista. Atualmente, São José do Barreiro, tem sua economia centrada na agricultura, na pecuária leiteira, no gado de corte e no turismo, que a cada ano vem se desenvolvendo em virtude dos vários atrativos; tanto históricos, como religiosos e naturais.
Antigo prédio da cadeia, e atual Câmara Municipal, teve sua construção iniciada em 1870, obra do engenheiro e escritor Euclides da Cunha. Foi Construída em taipa de pilão, adobe e pau-a-pique, tem suas paredes externas medindo de 1m a 1,2m de largura.

Casarões em estilo colonial, onde residiram famílias tradicionais da época.
Sobrado datado de 1846
Casa do artesão

3 comentários:

Bananal, my history, my city, my life. disse...

Querido Nikson,
O Ronaldo da Papelaria Avenida é um amigo muito querido. Passe na loja para apresentar suas fotos de Barreiro e seu blog. Ele construiu uma casa lá e ama a história e cultura local.

Chandra Santos - Estudante de Comunicação Social disse...

Oi Nikson, tudo bem?

Achei seu blog por acaso procurando fotos de Piraí para ilustrar uma matéria que fiz para meu blog jornalístico [ www.portalseteartes.blogspot.com ] sobre o Piraí Fest - que começa amanhã.

Amei seu blog com a história e as fotos dos casarões antigos!!

Sou apaixonada por casarões, sobradinhos...

Parabéns seu blog é ótimo!

Chandra Santos
www.chandrasantos.blogspot.com
www.portalseteartes.blogspot.com
www.youtube.com/chandrasantos
@chandrasantos

Anônimo disse...

Casei com uma vagabunda dai a muito tempo,mas graças a esta PIRANHUDA conheci esta maravilhosa cidade!