O primeiros caminhos no Vale do Paraíba

O primeiros caminhos no vale do Paraíba surgiram, ainda no século XVII, quando a Coroa Portuguesa, com o objetivo de encontrar ouro e pedras preciosas no interior da colônia, começou a buscar pontos distantes do litoral, através das velhas picadas abertas pelos índios. Encontrado o metal precioso nas Minas Gerais, deu-se início à corrida para conquistá-lo e, em conseqüência, a construção de uma verdadeira rede de estradas, consolidada ao longo dos séculos seguintes. Com o declínio do ciclo do ouro a partir de 1750, os velhos caminhos de terra, sinuosos e estreitos, foram sendo calçados e ampliados para a passagem das tropas que transportavam o café, a maior riqueza do século XIX.
Caminhos de Penetração no médio Vale do Paraíba.
Caminho velho – final do séc. XVII
Caminho novo – 1698/1706
Caminho alternativo de Bernardo Soares de Proença – 1723/1733
Caminho para São Paulo – 1725
Caminho novo do Tinguá – 1750
Caramujo – meados do séc. XIX
Estrada do Comércio – 1813/1817
Estrada da Polícia – 1817/1820
Mambucaba – 1825/1836
Estrada do Presidente – 1840
Estrada dos Fazendeiros – 1840/1848
Estrada Presidente Pedreira – 1840/1850
Estrada Real das Boiadas – 1º metade do séc. XIX
Estrada normal de Estrela – 1850
Estrada de São João Marcos – 1850/1857
Estrada União Indústria – 1856/1861
Informações contidas no mapa da Província do Rio de Janeiro de 1861, confeccionado pelos engenheiros Pedro D’Alcantara Bellegarde e Conrado Jacob de Niemeyer, por Decreto da Assembléia Provincial de 30 de outubro de 1857, assinado pelo então presidente da Província, Antônio Nicolau Tolentino. Observando o mesmo mapa podemos constatar que em 1861 haviam na província do rio de janeiro, aproximadamente 870 fazendas.

3 comentários:

Bananal, my history, my city, my life. disse...

Hey, Nikson:)
Onde teve acesso a este mapa? Muito legal a informação.

Nikson Salem disse...

Roberta, eu tenho o mapa que foi feito em 2009, elaborado a partir da imagem original.

O mapa original, "Carta Chorographica da Província do Rio de Janeiro", se encontra no Aquivo Nacional, que fica na Praça da República, 173 Rio de Janeiro, RJ.

Phil disse...

Nikson, parabéns pela bela foto da Fazenda Santa Maria onde se encontra funcionando o Hotel do Arvoredo. Morei lá de 81-85 com Ana Heloisa Pascoli e foi um ótimo período para mim e as crianças. Seu blog, é bastante interessante. Continue o bom trabalho. Novidades na área de arqueologia nestes sítios? Já falou sobre a Fazenda Aliança e seu 'hospital' criado pelo proprietário, de modo a isolar e curar escravos doentes? Estive lá diversas vezes, e tinham ainda o aqueduto quase funcionando...