Fazenda Grataú - Angra dos Reis RJ

Localizada próximo ao bairro Frade, em Angra dos Reis, a Grataú foi edificada na encosta de morros, onde havia trilhas que interligava o vale do Paraíba Paulista ao Porto do Frade. Pelas trilhas desciam as tropas de Mulas carregadas de café para a exportação, e subiam objetos importados da Europa, e centenas de escravos para trabalharem nas lavouras cafeeiras. A fazenda pertenceu à Henrique José da Silva, o Barão e Visconde de Ariró. Henrique foi coronel da Guarda Nacional e capitão do Batalhão de Infantaria; na vida política, exerceu cargos de deputado e vereador, além de ter sido chefe do Partido Conservador de Bananal SP. Mas o acontecimento dramático que havia de ser motivo do desenlace do Visconde de Ariró, deu-se no dia 1º de outubro de 1880. Naquele dia um dos seus feitores, para mostra de zelo e dedicação, trouxe para defronte a residência do Visconde, um infeliz escravo, e ali começou açoitá-lo impiedosamente. Aos gritos do pobre escravo que clamava misericórdia, o Visconde determinou que cessasse tal crueldade. Emocionado, sentiu-se mal e na mesma noite perdeu a fala, vindo a falecer em 3 de outubro de 1880. A propriedade, que com o passar dos anos sofreu várias modificações, não está aberta a visitação, podendo apenas ser apreciada e fotografada pela BR 101, que passa em frente.

8 comentários:

Patricia disse...

Essa fazenda é a coisa mais linda que eu já vi em toda a minha vida,mas sempre que passo por ela me da um arrepio como se tivesse alguma coisa paranormal nela... a foto ficou maravilhosa esta de parabéns! ;D beijos

Somar disse...

A Patrícia está certa. Quem vê essa fazenda, a partir da BR-101, se sente paranormalmente fascinado. Mas eu sei a razão. Quem a olha, é transportado, pelo mesmo efeito, para um passado de acontecimentos tenebrosos, quando ela era um dos principais símbolos do que de mais terrível nos proporcionava a escravidão. Essa marca está colada em cada pedra da sua construção, como uma maldição, que nos intimida e assombra.

Ramos disse...

O Somar está certo. O interior brasileiro está repleto desses símbolos, ao mesmo tempo encantadores e repulsivos. Paraty, Ouro Preto etc. O Salem, sim, talvez esteja errado. Acho que não foi bem a emoção daquela crueldade o que matou o visconde. Ele estava velho, e, quanto mais os bestiais amadurecem, mais aumenta a consciência dos crimes que cometeram, gerando visões que, um dia, se tornam insuportáveis. A vida é assim: cheia de maldições.

Romas disse...

Não, Ramos, não é bem assim, não. A consciência de um crime do tamanho da escravidão, não cabe na mente de ninguém, sob a pena de arruiná-la. Ela só aparece no futuro, quando nós olhamos pra trás, enojados.

Anônimo disse...

Tá bem. Vou concordar com todos, só pra acabar com a filosofia. Menos com o Salem, que, da próxima vez bem que pode usar uma grande angular. Assim, vai pegar uma magnífica roda d'água e, mais: a casa-grande, que fica bem ao lado dessa aí.

Anônimo disse...

A primeira vez que vi a fazenda, toda aquela imagem me emocionou. Querendo ou não, achando ou não certo, essa é a nossa história.Quantas pessoas passaram por ali, quanta vida, quanta lágrima,quanta dor e amor.
Isso é o nosso passado, seja ele belo ou não. Só gostaria de poder ter a oportunidade de sentir isso tudo de muito perto, andando pela fazenda e pelos corredores dessa bela casa!!!

Renan disse...

Quero Conheçer ela, poder entrar la *--------*

Vilma Dias disse...

ouvi falar dessa fazenda , mais os comentários me dão medo, é que eu ganhei uma proposta para comprar um terreno ao lado ad fazenda, dizem que tem um loteamento vocês sabem me informar se isso é verdadeiro ou é história de algum aproveitador por causa do abandono da terra, será que estão vendendo mesmo??