Fazenda Guaribú - Paty do Alferes RJ

A Guaribú foi fundada no final do século XVIII, pelo tenente Antônio Ribeiro de Avelar, português, grande comerciante no Rio de Janeiro e que foi testemunha, a favor de Tiradentes, no processo da Inconfidência Mineira. Por herança, a fazenda foi deixada a seu sobrinho-neto, Cláudio Gomes Ribeiro de Avelar (Barão do Guaribu) e legada, depois, a seu irmão, João Gomes Ribeiro de Avelar (Visconde da Paraíba) que a deixou para seu filho, de mesmo nome. O Barão de Guaribú, título conferido por decreto imperial em 31 de agosto de 1860, foi um importante fazendeiro de Café e cana-de-açucar na província do Rio de Janeiro. Na Côrte tinha o cargo de Guarda Roupa de S.M. D.Pedro II. Também foi agraciado como cavaleiro da Imperial Ordem de Cristo e Oficial da Imperial Ordem da Rosa. Faleceu em sua fazenda em Paty do Alferes, em 2 de Agosto de 1863. A Guaribú permaneceu por várias décadas na família Avelar, e hoje suas terras pertencem a seus descendentes. A sede da fazenda ruiu na década de 1980.

8 comentários:

Sérgio de Souza Couto disse...

Bacana o Blog sou Morador do Bairro Arcozelo... alguma materia sobre o Bairro ? rsrs

Aventura precisa de segurança disse...

Freqüentei a fazenda do Guaribu, na época propriedade de diversos componentes da Familia Peralta. Uma pena ter ruído com tantas e boas lembranças. A fazenda ainda existe, dividida entre muitos membros da Familia Peralta, com muitas casas mas sem o encanto da sede maravilhosa, povoada por vira campos, siriemas, araçás e muitas historias de escravos que viviam em suas senzalas.
A fazenda fica próxima a cidade de Avelar, vizinha a fazenda das antas e continua produzindo cachaças especiais, tanto do Zeca, quanto do Sergio Pilão, ambos meus amigos de infância!

Anônimo disse...

Sou da família "Batalha", moro em Vassouras ha 40 anos. Estudei nessa fazenda com dona Herondina Nídia Peralta Santos, mãe de Miguelzinho. Dona Nídia, foi minha professora, madrinha de casamento e madrinha de minha filha mais nova, Marta. Meu pai se chama José Pires Batalha, fez agora 05/02/2012, 95 anos com saúde, graças a Deus e mora lá no Guaribú, na mesma casa até hoje!!!
Meu marido se chamava Alcides da Silva Campos Filho e foi ele que fez a casa do Sr. Chiquinho Peralta, do Dr. Valdomiro Peralta no Guaribú Velho e também trabalhou na construção do colégio do Guaribú. Ele faleceu em outubro de 98 com um câncer de estômago.
Muito bom ver essa foto, muita saudade desse tempo!
Sou Sebastiana Batalha Campos moro em Vassouras

Anônimo disse...

moro no rio de janeiro e me recordo mt deste lugar maravilhoso sou filho de joeni e estudei no colégio do guaribu e lembro da fazenda , a cachueira o campo de futebol q saudades! geraldo

Anônimo disse...

Sou filho de Lilia Peralta Sou de uma geração mais nova da família mais lembro do casarão ainda intacto e toda afmília junta- Ti chiquinho, Tio Marcelo , Vovo Nenen, Sérgio Peralta Pilão Zeca!!!! Os cavalo ficavam no Arrozal tinha o açude ´´otimo para tomar bahno Ficamos no terraço do casarão com noites lindas de estrelas e luas. É poca boa passavamos as férias de colégio lá Outras tios Tio Moacir, Tio Newton, Tia Lourdes e meus primos Marcelo Robe, Nica, André, Pêpe e outros.

Nika disse...

Bons tempos!!! Indescritível tudo que vivi neste casarão, muuuitas histórias que serão sempre relembradas, as noites sem luz elétrica, os dias de temporais com mais de 20 membros da família Peralta enclausurados no casarão, as histórias dos antepassados, ... lembranças maravilhosas.
Saudade desta época!!!

Paty Curiosa disse...

Estava aqui mexendo na internet e que surpresa maravilhosa encontrar essea relatos que me remetem tantas coisas boas. GUaribu, lugar cheio de lembranCAS e pessoas queridas. MESMo estando tao distante sinto muita Saudade. OBrigada pela publicacao.

Paty Curiosa disse...

Estava aqui mexendo na internet e que surpresa maravilhosa encontrar essea relatos que me remetem tantas coisas boas. GUaribu, lugar cheio de lembranCAS e pessoas queridas. MESMo estando tao distante sinto muita Saudade. OBrigada pela publicacao.