Fazenda Rochinha - Barra Mansa RJ


Um das fazendas mais antigas da região, pois data das primeiras décadas do século XVIII (fontes registram sua construção por volta de 1717), a fazenda Cachoeira, seu nome primitivo devido a abundância de águas nas suas terras, dedicou-se inicialmente ao plantio da cana para a produção de açúcar e aguardente. Com a chegada avassaladora do café na região, Cachoeira aderiu à nova cultura que ocupou o Vale do Paraíba por todo o Brasil Império constituindo-se no principal produto da economia brasileira no período. Em 1878 o proprietário da fazenda, Antônio José Lomba de Abreu, doou grande parte de suas terras para a construção de ruas, casas, prédios públicos, praças, cemitério, igreja e a estação ferroviária de Floriano, contribuindo para o desenvolvimento do povoado, depois distrito de Barra Mansa. Segundo um inventário do INEPAC do final da década de 1970, em 1904 a propriedade, então com 130 alqueires geométricos, foi vendida por 30 contos de réis por dona Genoveva Hummil Jardim a Vicente Miglioli e depois, por herança, passou a Antonio Fontes Rocha, de quem Miglioli era padrasto. Posteriormente a fazenda, que até hoje permanece na família, passou às duas filhas de Antonio, Ângela Maria Rocha Silva e Anna Lucia Gilly Rocha. Antônio Fontes Rocha, conhecido por Rochinha, daí o nome atual da fazenda, retornou ao cultivo da cana de açúcar para a produção da cachaça artesanal “Rochinha”, que pela sua excelente qualidade recebeu prêmios no Brasil e no exterior. Ilustrando e enfatizando o nome original da fazenda, até hoje é a água que girando a enorme e antiga roda d’água metálica produz a força que faz a moagem da cana para a obtenção do caldo para produzir a cachaça. A fazenda explora também a pecuária de leite e de corte, a piscicultura e subsidiariamente produz doce e outros produtos típicos da roça.
Localiza-se no distrito de Floriano.
www.rochinha.com.br

Igreja de Nossa Senhora do Rosário - São João del-Rei MG

Considerada a mais antiga da cidade, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário teve sua construção iniciada em 1719 pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos. No ano de 1753 passou a apresentar o atual pórtico com elementos decorativos e a elegante porta almofadada. Em 1936 a fachada foi adaptada para abrigar as duas torres. O interior é bastante simples. No altar-mor, há uma bonita imagem de Nossa Senhora do Rosário.
Endereço: Praça Embaixador Gastão da Cunha, s/nº – Centro.
Telefone: (32)3371-1785

Hotel Valenciano - Valença RJ

Construído em 1917, o hotel possui instalações modernas, mas ainda é possível apreciar o bar e a barbearia que preservam alguns detalhes da época da construção. Único do gênero na região é um marco da cidade. A um quarteirão da Rodoviária Princesa da Serra e a poucos quarteirões do comércio principal e das atrações do centro da cidade. Além de estar a uns 30 minutos das fazendas históricas, cachoeiras e de Conservatória.
Localização: Praça Doutor Paulo de Frontin, nº360 - Tel. (24) 2453-4890
Site: http://www.hotelvalenciano.com.br/ 

Cachoeira dos Garcias - Aiuruoca MG



Com cerca de 30 m de queda livre de água cristalina, a Cachoeira dos Garcias é formada pela junção de dois ribeirões: um que nasce no Retiro dos Pedros e outro que nasce no Alto do Cidinho. A partir da cachoeira forma-se o Ribeirão do Papagaio que vai desaguar no Rio Aiuruoca. Onde cai a cachoeira, forma-se um tanque arredondado de 10m de diâmetro, próprio para banho e mergulho, apenas para pessoas experientes, já que a profundidade pode chegar a 5m. Localiza-se a 17 km do centro da cidade. 

Fazenda do Secretário - Vassouras RJ

 

Localizada no município de Vassouras, a Fazenda do Secretário chegou a possuir 500.000 pés de café e 366 escravos. Parte da sua tulha, localizada do lado direito da casa, ainda permanece. Ali se situavam 51 lances de senzalas, 5 enfermarias e dez casas para empregados. Em frente a casa e ao lado da tulha, um relógio francês instalado em uma bela torre marcava as horas. Restaurada e mobiliada ao estilo da época, o solar foi construído em meados do século XIX (1830) por Laureano Corrêa e Castro, o Barão de Campo Belo. Em seu interior há uma escadaria importada da Europa em madeira de lei, capela, salão de baile e salas de jantar com pinturas do catalão José Maria Villaronga. Os jardins, com sua extraordinária beleza e dimensão, possuem estátuas em ferro fundido da famosa fundição Barbezat & Co, localizada no Vale d’Osne. 
A fazenda é liberada à visitação de grupos com agendamento prévio.
Fazenda do Secretário -  (24) 2488-0150
Existem duas versões para a origem do nome "Fazenda do Secretário": uma delas atribui o nome ao seu fundador, José Ferreira da Fonte, que foi secretário de diversos governadores da província; a outra explica que o nome foi tomado do ribeirão chamado Secretário que nasce de vertentes próximas e banha a fazenda.

Estação Ferroviária - São Vicente de Minas MG


A estação de São Vicente foi aberta em 1912 pela Estrada de Ferro Oeste de Minas. Nos anos 1940 chegou a chamar Francisco Salles, tendo o nome finalmente revisto para São Vicente de Minas nos anos de 1950. Em 2012, ano do seu centenário, a estação foi completamente reformada e entregue a população. 

Fazenda Feliz Remanso - Barra do Piraí RJ


Lucas Antônio Monteiro de Barros e Cecília Gonçalves de Moraes casaram-se em 1834, ele, filho do visconde de Congonhas do Campo, ela, filha dos barões de Piraí. Através de dote de casamento, Lucas recebeu do sogro uma sesmaria de meia-légua em quadra localizada às margens do Rio Paraíba do Sul, onde fundaram a importante Fazenda Três Poços. Com o tempo, devido ao grande desenvolvimento da lavoura cafeeira, Lucas criou em suas terras mais duas unidades de produção de café, as fazendas do Brandão e Volta Redonda. Por volta de 1845, adquiriu, em leilão em praça pública, a Fazenda Feliz Remanso, do espólio do falecido José Tomás da Silva, conforme declarou em 1856, quando a registrou no censo de terras de 1850. Inicialmente, Feliz Remanso, funcionava como fazenda “satélite” ou “de trabalho”, como alguns especialistas preferem denominar, ligada à fazenda principal, Três Poços. Por ocasião da morte do comendador Lucas Antônio Monteiro de Barros, ocorrida em 10 de março de 1862, a Fazenda Feliz Remanso foi herdada pelos dois filhos do casal, Maria Rita e Lucas Antônio. Este adquiriu a parte da irmã e tornou-se o único proprietário. A fazenda atravessou o século XX em poder dos Monteiro de Barros, sendo uma das poucas fazendas históricas existentes no Vale do Paraíba Fluminense que permaneceu nas mãos da mesma família desde a sua fundação, na primeira metade do século XIX.
Não está aberta à visitação.

Fazenda São Bento - Santa Rita de Jacutinga MG

A Fazenda São Bento é uma das mais belas da região, é a que se encontra mais bem conservada. Construída em 1854, o terreno onde se localiza a propriedade foi presente do Comendador Francisco Tereziano Fortes ao Sr. Tomé Dias dos Santos Brandão em agradecimento pelo bons serviços prestados em seus negócios. O que mais se destaca na história do Casarão e da Família Brandão é a maneira com que a propriedade é administrada pelos herdeiros. A herança do Sr. Tomé Dias dos Santos Brandão é ainda hoje gerida por seus descendentes, num exemplo de comprometimento e harmonia de maneira que a família e o patrimônio permaneceram juntos aos passar dos longos anos de existência da fazenda. A natureza foi muito generosa com a Família Brandão, as terras que cercam a fazenda são de uma beleza exuberante. Além de sua bela Sede, a fazenda possui trilhas para conhecer a Cachoeira São Bento (foto), Cachoeira Arco-íris e se ainda houver pique, encarar as trilhas das 4 quedas, que se encerra na Cachoeira do Tronco. Além dessas trilhas, pode-se fazer um passeio mais curto ao pé da cachoeira São Bento e à Gruta. O Vale das Borboletas é um paraíso, um espetáculo de beleza rara, onde em determinadas épocas do ano, passamos por trilhas com centenas, quiçá milhares de borboletas coloridas.

Entre em contato e faça a sua reserva. Este passeio pode ser feito em qualquer dia da semana.
Guia: Gil Cunha - (32) 32911110 / Whatsapp 3284665897

Poço do Céu e dos Dinossauros - Serrinha do Alambari RJ

O acesso a Serrinha do Alambari é pela RJ-163, distante 4,5kms do portal de Penedo. A Serrinha tem trechos preservados de Mata Atlântica e abriga inúmeras e importantes espécies da fauna e da flora, além de belas cachoeiras, como o Poço do Céu e dos Dinossauros, formado pelas águas do rio Santo Antônio. Do portal da Serrinha até o Camping Clube do Brasil são 6,5 kms, deste ponto até o poço são mais 3 km aproximadamente. É aconselhável a presença de um guia local.

Fazenda São José - Valença RJ


Localizada as margens da rodovia RJ-143, no distrito de Conservatória, a fazenda São José foi fundada por volta de 1830. Seu fundador foi Anastácio Leite Ribeiro, mineiro de São João d`El Rei. 

Basílica Bom Jesus de Matosinhos - Congonhas MG

A principal riqueza de Congonhas - a Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos - nasceu da promessa de um imigrante português. Depois de anos trabalhando em minas de ouro, Feliciano Mendes ficou doente e jurou que se a recuperasse a saúde mandaria erguer um templo. Curado, o garimpeiro deu início às obras em 1757, mas morreu pouco tempo depois, sem saber que de sua iniciativa surgiria um dos maiores tesouros da arte barroca do país, reconhecido como Patrimônio Mundial pela Unesco em 1985. O rico conjunto barroco é dividido em três partes, sendo que a principal atração está ao ar livre. Trata-se do adro, onde os doze profetas esculpidos em pedra-sabão por ninguém menos que Aleijadinho dão as boas-vindas. As estátuas foram trabalhadas entre 1800 e 1805 e a imagem de Daniel é considerada o auge do talento do artista. Em um plano inclinado com calçamento de pedra ficam as Capelas dos Passos, dentro das quais há 64 imagens em cedro que retratam a Paixão de Cristo, muitas de autoria de Aleijadinho e pintadas por mestre Athayde. Observadas apenas pelo lado de fora, as seis capelas têm as janelas abertas o dia todo. Já a igreja exibe traçado inspirado nos santuários portugueses de Matosinhos e Braga e guarda em seu interior uma rica decoração rococó, com entalhes e relicários. Anexa fica a sala de ex-votos, transformada em museu, com quadros pintados pelos fiéis.
FuncionamentoDe terça a domingo - 6h às 18h

Museu da Inconfidência - Ouro Preto MG

Sua construção foi iniciada em 1785, com intuito de servir como Casa da Câmara e cadeia. Para a obra o governador de Minas, Luís da Cunha Menezes, usou sentenciados e escravos recapturados nos quilombos e convocou ainda um exército de pedreiros, carpinteiros e artistas. Reúne valiosa coleção de objetos e manuscritos referentes à Inconfidência, obras atribuídas a Aleijadinho, Xavier de Brito, Mestre Ataíde, Servas... além de indumentárias, mobiliário e variados objetos do séculos XVIII e XIX. Destacam-se o Panteão dos Inconfidentes (onde se encontram os restos mortais dos principais nomes do movimento), e pedaços da forca em que morreu Tiradentes.
Praça Tiradentes.
Horário: terça a domingo, das 12:30 às 18:00 hs.

Fazenda Veneza - Valença RJ

No início do séc. XIX, em terras de Manuel Gomes de Carvalho, o Barão do Amparo, foi construída um dos mais belos casarões do ciclo do café. Apresenta uma linguagem neoclássica dominante com alguns elementos do ecletismo. As linhas originais da sede foram mantidas e compõem um harmonioso conjunto com a edificação do antigo engenho, apesar de estilos distintos. O jardim de inverno, muito utilizado em substituição à varanda, conta com janelas de guilhotina e bandeiras de vidros multicoloridos. O mais ilustre morador da fazenda Veneza foi o Barão de Guaraciaba, Francisco Paulo de Almeida. Único titular do império que tinha sua tez negra, título agraciado em 16 de setembro de 1887, poucos meses antes da libertação dos escravos, foi também um dos mais interessantes e curiosos homens de nossa história.

Localização: Estrada da Veneza, Distrito de Conservatória.

Trem da Vale - Ouro Preto / Mariana MG

 Trem da Vale - trajeto entre Ouro Preto e Mariana - 18 kms
 Estação Ferroviária de Ouro Preto - MG
A estação de Ouro Preto, aberta em 1888, quando a cidade ainda era a capital da Província de Minas Gerais. Restaurada em 2006, hoje a estação é um complexo cultural composto pelo vagão biblioteca, vagão café de ouro preto, tenda cultural, vagão sonoro, sala de memórias, sala da maquete, e espaço para exposições. 
Estação Ferroviária de Mariana - MG

A construção do ramal da cidade de Ouro Preto foi iniciada em 1883, tendo seu prolongamento até a cidade de Mariana concluído em 1914, ano de inauguração da estação. Restaurada em 2006, hoje a estação é um complexo cultural composto pela biblioteca, espaço museográfico, praça lúdico musical, sala multiuso, vagão sala de histórias, vagão dos sentidos e vagão oficina. 
As viagens turísticas de trem acontecem as sextas, aos sábados, domingos e feriados. As Estações ficam abertas a visitação de terça-feira a domingo e feriados nacionais, das 9h às 17h.
Mariana - Tel. da Bilheteria: (31) 3557-3844, Tel. da Estação: (31) 3558-3104 - Praça Juscelino Kubitschek, s/n. – Centro
Ouro Preto – Tel. da Bilheteria: (31) 3551-7705, Tel. da Estação: (31) 3551 7310 - Praça Cesário Alvim, s/n. – Barra
Tarifas: Inteira: R$ 40,00 ida, R$ 56,00 ida e volta. Meia: R$ 20,00 ida R$ 28,00 ida e volta.

Forte São Mateus – Cabo Frio RJ


A construção que dá nome à principal praia de Cabo Frio - praia do Forte - foi projetado pelo engenheiro espanhol Francisco Frias de Mesquita, e sob o comando do capitão - mor de Cabo Frio, Estevão Gomes, o Forte São Mateus foi construído em 1620. O Forte possuía canhões dos mais variados calibres: um de 12 polegadas, quatro de 6 polegadas e dois de 8 polegadas. Era guarnecido por sete soldados. Em 1899, o Forte tornou-se lazareto recolhendo doentes portadores de varíola. Em ruínas, o Forte foi restaurado em 1957.
Atualmente, o Forte São Mateus encontra - se aberto à visitação pública e em suas dependências promovem - se exposições temporárias.

Estação Ferroviária de Andrelândia - MG


A estação ferroviária do Turvo foi inaugurada em 14 de junho de 1914, fazendo parte do ramal da Estrada de Ferro Oeste de Minas, que ligava Ribeirão Vermelho-MG a Barra Mansa-RJ. Em 1930, o nome da estação foi alterado para Andrelândia, em homenagem a André da Silveira, fundador da cidade. Marco da história ferroviária de Andrelândia, no Sul de Minas, a antiga estação de trem da cidade foi totalmente restaurada e o seu entorno revitalizado, com a construção de uma praça e área de lazer. 

Fazenda Paraízo - Valença RJ



Esta fazenda teve origem na sesmaria de meia légua em quadra concedida a João Domingues da Costa, por volta do ano de 1820. No final do século XIX, foi adquirida pelo casal Laurindo Quirino da Rocha e Belmira de Jesus Werneck, já com a sede e a unidade de produção de café edificada. Em 22 de março de 1899, o casal Werneck Rocha deu início ao processo judicial para divisão de demarcação das terras da fazenda. Nesta ocasião contava a Fazenda Paraízo com uma área aproximada de 4.188 hectares. Parte das terras encontrava-se cultivada com café e outra em pura mata virgem. Atualmente a Fazenda Paraízo encontra-se em posse da família Werneck, sendo o atual proprietário de sua quinta geração. Na imagem temos a casa sede e o antigo engenho de café.
Localiza-se no trecho entre o distrito de Conservatória e Santa Isabel do Rio Preto.

Estação Ferroviária de Barão de Vassouras - Vassouras RJ


Inaugurada em 1865, a estação do Rio das Mortes, seu nome primitivo, é mais uma das antigas estações da Estrada de Ferro D. Pedro II que estão no mais completo abandono.

Igreja de São Francisco de Assis - São João del-Rei MG


A Igreja de São Francisco de Assis é um dos mais belos templos coloniais de Minas Gerais. Sua construção foi iniciada em 1774 e a autoria do projeto é questão polêmica, que envolve dois grandes artistas da época: Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e Francisco de Lima Cerqueira. Aleijadinho é considerado autor do risco original, mais tarde modificado por Lima Cerqueira, designado mestre-de-obras do templo.
O partido arquitetônico segue a tendência curvilínea do estilo rococó. O corpo da nave experimenta ligeira ondulação convexa, e as torres cilíndricas recuam-se em relação ao plano da fachada, ricamente ornamentada.
A obra de talha é marcada pela exuberância graciosa do rococó. Na capela-mor, a alternância de douramentos sobre o fundo branco dá maior densidade à talha, principalmente se comparado aos púlpitos e altares laterais, originalmente pintados de branco, hoje na cor natural da madeira.
O arco abatido que sustenta o coro representa obra de arrojo arquitetônico para época, realizada por Souza Lopes. No arco da porta principal existe uma interessante cabeça de Cristo esculpida.

Localização: Praça Frei Orlando - Centro 
Visitação: Diariamente, das 8h às 11h e das 14h às 16h

Porto Real RJ

A origem do nome Porto Real está na constante presença da Família Real, que costumava fazer uma parada no lugarejo nos períodos de veraneio, quando chegavam de Petrópolis. 
A viagem era feita de trem até o povoado de Floriano (hoje, distrito de Barra Mansa), depois eles subiam de barco o Rio Paraíba do Sul até um pequeno porto às margens do rio. 
Daí, o nome Porto Real. Porém, as terras que hoje pertencem a Porto Real tiveram sua colonização efetivamente iniciada no final do século XIX, em princípios de 1875, quando chegaram ao Brasil, a convite de D. Pedro II, os primeiros imigrantes italianos. 
As 50 famílias de colonos italianos tinham como destino Santa Catarina, mas uma epidemia de febre amarela no Rio de Janeiro obrigou-as a permanecerem em quarentena em Porto Real. Passado esse período, foi requisitada ao governo a permanência dessas famílias na região, dando início à primeira colônia italiana do Brasil. A colônia continuou crescendo, tornando-se Porto Real o distrito mais importante do município de Resende. 
Surgiu então a necessidade de uma autonomia político-administrativa, que fez surgir o movimento pró-emancipação. Em 5 de outubro de 1995, foi realizado um plebiscito, onde a população decidiu pela emancipação do município. A criação do município foi oficializada em 28 de dezembro do mesmo ano, com a assinatura da Lei 2.494, pelo então governador do Rio, Marcello Alencar. Em 3 de outubro de 1996 ocorreu a primeira eleição municipal e, em 1º de janeiro de 1997, o município foi instalado com a posse do então prefeito e seu vice.
 Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores
Uma bela construção datada de 1910, a igreja em estilo neoclássico foi edificada no centro da colônia para abrigar a imagem de Nossa Senhora Das Dores, que os primeiros imigrantes trouxeram da Itália em 1874. Na parte externa existe uma cancha para a prática da boccia, um jogo de origem italiana, ainda muito praticado pelos descendentes.

Antiga Usina Açucareira

Para beneficiar a cana-de-açúcar produzida no município, foi criada a Açucareira Porto Real. Primeira indústria local, produzia açúcar cristal, açúcar refinado, álcool e a cachaça Manda Brasa, transformando-se mais tarde na Companhia Fluminense de Refrigerantes. Ainda hoje, preserva suas características originais e tornou-se um cartão postal da cidade.

Maiores informações: http://www.portoreal.rj.gov.br/

Camping Clube do Brasil - Serrinha do Alambari RJ


Instalado na Serrinha nos anos 70, o Camping Clube do Brasil possui uma grande área verde com muitas árvores para barracas e trailers. O camping está equipado com iluminação elétrica somente para as dependências, chuveiros quentes, quadra de esportes, play-ground, sauna rústica, pavilhão de lazer, cachoeiras, quiosques e lago.  
Tel.: (24)3381-7042
Entrada pelo km 311 da Via Dutra. Município de Resende
Maiores informações: http://www.campingclube.com.br/tabela.htm

Fazenda Ribeirão Claro - Barra Mansa RJ


As terras onde mais tarde seria edificada a Fazenda Ribeirão Claro teve origem na sesmaria obtida pelo Cap. Domingos Antônio Ribeiro em 1814. Posteriormente a sesmaria foi adquirida por João Chrisóstomo de Vargas, que ergue a fazenda em 1845. João Chrisóstomo foi vereador da câmara municipal de Barra Mansa, responsável pela construção da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Amparo e grande proprietário de terras. Além da Ribeirão Claro possuía as fazendas do Pinhal, Retiro, Cachoeirinha e Santa Theresa. Em 1866, doou a fazenda Ribeirão Claro a sua filha Maria Thereza de Vargas, casada com o Comendador João Thomaz Moreira da Costa, que em 1861 exerceu o cargo de vereador na câmara municipal de Barra Mansa. Edificada no topo de uma pequena colina, a casa sede em estilo colonial permanece preservada, na cor rosa de suas paredes e no branco de seus portais. Os imponentes salões foram palcos de elegantes saraus, encontros sociais e políticos, batizados e casamentos. Importante produtora de café no passado, hoje a fazenda dedica-se a pecuária leiteira. A Ribeirão Claro é um das poucas propriedades rurais do século XIX que ainda permanece com descentes do fundador. 
Localiza-se no distrito de Amparo.

Trem das Águas - São Lourenço MG


O Trem das Águas parte da Estação Ferroviária de São Lourenço, inaugurada em 1884, e segue para Soledade de Minas, totalizando 20km de passeio (ida e volta). O passeio todo tem duração de duas horas, sendo 40 minutos na viagem de ida, 40 minutos de parada em Soledade e 40 minutos na viagem de retorno. Durante o trajeto violeiros animam a viagem cantando musicas populares. Para fazer o passeio a estação de São Lourenço dispõe de duas locomotivas a vapor: a Locomotiva 327, Inglesa de 1928, e a Locomotiva 1424, uma locomotiva Americana de 1927.

Partidas:
Sábados: 10:00h e 14:30h - Domingo: 10:00h - Feriados: sob consulta
Informações e Reservas: (35) 3332-3011

Cachoeira da Índia - Conservatória RJ


Com uma pequena queda d’água, a Cachoeira da Índia, assim denominada devido a escultura fixada no local, localiza-se próxima ao centro do Distrito, dentro do Balneário Municipal João Raposo. Aberto a visitação, sem taxa de entrada.

Chaminé Centenária - Volta Redonda RJ


Construída em 1903 pelo Dr. José Rodrigues Peixoto, a Chaminé fazia parte de um engenho de cana que fabricava açúcar, aguardente e outros produtos derivados. Em 1925 foi criada a “Sociedade de Laticínios Santa Cecília Ltda”, que se instalou nas antigas dependências do engenho. Em 1965, durante o governo do prefeito Dr. João Pio de Abreu, suas instalações foram demolidas para a construção do viaduto Nossa Senhora das Graças, tendo sido mantida a chaminé, que foi restaurada em março de 2002. Localiza-se no bairro Aterrado.

Tombada pelo Patrimônio Histórico Municipal.

Trem da Serra - Passa Quatro MG


A ferrovia se originou de uma concessão feita em 1875 pelo Governo Imperial a José Vieira Couto de Magalhães e ao Barão de Mauá, com a denominação de Estrada de Ferro Rio Verde, sendo este o último envolvimento do Barão de Mauá com um projeto ferroviário. Os trabalhos de construção se iniciaram em 21 de abril de 1881 comandados por uma empresa inglesa denominada The Minas and Rio Railway. A Estação Ferroviária de Passa Quatro foi inaugurada em 14 de junho de 1884, a viagem inaugural contou com a presença de D. Pedro II e comitiva, que percorreram todos os 170kms de ferrovia que conectavam Cruzeiro a Três Corações. Atualmente, dos 170kms originais, apenas 20 se encontram em condições operacionais, graças ao trabalho da ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária).
Partidas:
Sábados: 10:00h e 14:30h - Domingo: 10:00h - Feriados: sob consulta
Informações e Reservas: (35) 3371-2167

Estação Ferroviária - Conservatória RJ



A Estação Ferroviária de Conservatória foi inaugurada em 1883 pela Estrada de Ferro Santa Isabel do Rio Preto. Posteriormente o trecho ferroviário pertenceu a Viação Ferroviária Sapucaí, Rede Sul Mineira, e Rede Mineira de Viação de 1931 a 1961, quando o trecho foi desativado. Atualmente o prédio da Estação abriga a Rodoviária Dr. Jair Nóbrega.

Charitas - Museu e Casa de Cultura - Cabo Frio RJ


Edificação construída em 1837 com o objetivo de ser casa de caridade, a qual acolheria crianças abandonadas. Por razão de epidemias no período posterior a sua construção, passou a funcionar como hospital. Durante a 2ª Guerra Mundial foi abrigo do 1º Grupo de Artilharia de Dorso. Hoje, o Museu e Casa de Cultura José de Dome promove exposições, palestras e apresentações de música e teatro.
End.: Avenida Assunção,855 – Centro

Tel. (22) 2643-2784

Pedra Sonora - Serrinha do Alambari RJ


De origem indígena, a lenda conta que há muitos anos, naquele local, os índios Coroados disputavam com os índios locais, os Puris, a posse das terras. Certo dia, um chefe índio, fazendo reconhecimento do local, recebeu uma flechada no pescoço. Impossibilitado de gritar por socorro, sentindo que ia morrer, ajoelhou-se junto à pedra, deixando seu machado cair sobre ela. A pancada emitiu um som que ecoou pela encosta. Ao constatar o fenômeno, o índio bateu outras vezes com o machado. Curiosos com o ruído que ouviram, seus companheiros não tardaram a chegar ao local, a tempo de salvá-lo.


Tombado pelo patrimônio Histórico e Paisagístico de Resende.

Igreja Matriz de São Pedro e São Paulo - Paraíba do Sul RJ


A Igreja Matriz construída em 1882 em louvor a Nossa Senhora da Conceição da Santa Virgem e dos apóstolos São Pedro e São Paulo, possui estilo neoclássico, com frontão triangular demarcando a Nave Central, com torres laterais formando o eixo central de simetria. Até 1932 suas torres limitavam-se a altura do frontão, e em 1933 foram concluídas para abrigar seus sinos. Possuía um grandioso altar-mor e cinco altares laterais. O interior da igreja sofreu diversas modificações, descaracterizando sua construção original. 
Localização: Praça São Pedro e São Paulo, s/nº - Centro

Fazenda Vista Alegre - Valença RJ


O Visconde de Pimentel iniciou o legado na Fazenda Vista Alegre através de notáveis atuações pioneiras no campo das artes, da cultura e do desenvolvimento sócio- econômico na segunda metade do século XIX. Marcada pelo dinamismo e pela inovação de métodos e tecnologias da produção rural e na vida social, a Fazenda Vista Alegre desde então é referência em desenvolvimento sustentável. Originalmente dedicada ao plantio do café, aprendia-se na Vista Alegre música, artes teatrais e religião. A Escola de Ingênuos, como ficou conhecida, foi a primeira no país a alfabetizar filhos de escravos e crianças pobres das redondezas. Os primeiros imigrantes dinamarqueses do Vale fundaram na fazenda a primeira indústria de queijos, fabricados com a tecnologia européia do Estado, os famosos Laticínios DANA por volta de 1912. A família Nielssen residiu na Vista Alegre por cerca de 30 anos, tendo desenvolvido e aprimorado queijos de qualidades variadas, até transferirem-se para o Sul de Minas, onde multiplicaram indústrias e marcas de laticínios. Desde 1980, a Fazenda Vista Alegre pertence à família Mattos Santos. Após terem desenvolvido a produção de laticínios, dedicaram-se até o final do ano de 2011 à produção orgânica e natural. Atualmente, as principais atividades da fazenda são a criação e venda de gado, além da formação de um centro incipiente de treinamento para cavalos novos. A família de Mattos Santos completa a maior longevidade de uma família na propriedade e vem dinamizando suas atividades econômicas, abrindo espaço para as visitações orientadas para grupos com almoços e a realização de eventos corporativos, culturais e sociais. As visitações ocorrem aos finais de semana e feriados e precisam ser previamente agendadas por e-mail ou por telefone.
End.: Estrada Valença/ Conservatória- número 2.800- KM 18- Valença-RJ

Tels.: (21) 9 8817 0747 (Renata Mattos)
(24) 9 9914 9495 (Sede da Fazenda) 

Cachoeira de Ipiabas - Barra do Piraí RJ

 
Esta bela cachoeira localiza-se no distrito de Ipiabas, seu acesso é pela estrada Dr. Luiz Novaes, distante 6kms do centro do distrito. A cachoeira é composta por duas quedas d'água, a primeira com aproximadamente 3,5m de altura, onde as águas deslizam por pequeno declive e seguem até uma rocha bem acidentada, que vem formar a segunda queda, com altura em torno de 5 metros.

Fazenda São Benedito - São José do Barreiro SP


Construída em 1887, a São Benedito, localiza-se ao pé da Serra da Bocaina, a apenas 2km do centro da cidade de São José do Barreiro. Hoje funciona como pousada, não é um hotel, mas sim uma fazenda com o seu característico dia a dia, e que oferece hospedagem. A Pousada oferece um delicioso café da manhã ("café da manhã da roça"), grandes áreas gramadas, piscina, campo de futebol, churrasqueira, forno a lenha e forno caipira, passeios pela propriedade, ducha na cachoeira, orquidário e cachaçaria. O nosso hóspede está convidado também a conhecer as atividades diárias de uma fazenda: o curral, plantação de bananas, além das galinhas, patos, gansos, marrecos, e carneiros que circulam livremente pela fazenda. Poderá se dar o prazer de ouvir e ver dezenas de aves canoras no entorno do casarão e com um pouco de sorte poderá curtir os sagüis e esquilos que pulam livremente pelas árvores. O hóspede se sentirá em completa harmonia com a natureza e aprenderá um pouco sobre os costumes, arquitetura, economia e política do período do café.
End.: Rod. dos Tropeiros, km 266 - Tel.: (12) 91183581


www.fazendasaobenedito.tur.br

Fazenda Pau Grande – Paty do Alferes RJ


Fundada em 1770, pelo Ten. Antônio Ribeiro de Avelar e seu irmão João Rodrigues da Cruz, a Pau Grande foi fértil produtora de açúcar, tendo o maior engenho de cana fluminense. A partir de 1810, dedicou-se à lavoura de café e se tornou uma das mais importantes produtoras do Vale do Paraíba. Por volta de 1865 a fazenda possuía 860 mil pés de café. O casarão, constituído em dois pavimentos,  possui no primeiro andar, uma fachada principal que apresenta 12 janelas de madeira e 3 portas principais também em madeira. No segundo pavimento existem 16 janelas de madeira com sacadas e grades de ferro importados da Europa. Na sua volumetria nota-se a existência de duas alas, unidas pela capela, resultando uma planta em formato de “U”, com pátio nos fundos.

Localização: Rodovia RJ 125 – Estrada Paty do Alferes, Km 11 – Distrito de Avelar

Cachoeira do Escorrega - Visconde de Mauá RJ


A cachoeira do Escorrega é o cartão postal de Visconde de Mauá , ela fica 3 km acima da vila da Maromba. A cachoeira é um tobogã natural , que foi esculpido pela natureza após uma forte tempestade (cabeça d´água) em 1966 , fez com que uma única placa de rocha faz o leito do rio , permitindo um deslizamento perfeito que desemboca numa piscina natural profunda de águas limpas e cristalinas. 

Miniaturas esculpidas em cerâmica - Dion Garcia




O artesão Dion Garcia, fabrica réplicas de casarões e igrejas centenárias, um belíssimo trabalho em cerâmica iniciado em 1990, no sul de Minas, onde morou e por vários anos trabalhou em uma comunidade alternativa rural, auxiliando nas construções das casas... e foi lá que veio a inspiração em retratá-las, desde então esse trabalho virou seu meio de vida. 

Dion Garcia
019 97340309
Morungaba/SP

Fazenda Santa Justa - Rio das Flores RJ

Fundada em 1820, a Santa Justa foi adquirida por Jacinto Alves Barbosa, o Barão de Santa Justa, em 1862. Anteriormente a fazenda pertenceu à família Belens. O Barão de Santa Justa chegou a possuir cerca de 2.000 escravos e a exportar 50.000 arrobas de café. Foi proprietário dentre outras, das fazendas Santa Justa, São Fidélis, São Filipe e Monte Cristo, situadas nos municípios de Valença, Rio das Flores, Três Ilhas e Paraíba do Sul. Após sua morte, em 1872, a Fazenda foi herdada por um de seus nove filhos, Francisco Alves Barbosa, o segundo Barão de Santa Justa. Francisco, juntamente com sua mãe, a Viscondessa Bernardina Silveira Alves Barbosa, administraram as fazendas até a morte de Francisco em 1883. Com a morte do segundo Barão, José Alves da Silveira Barbosa, o terceiro Barão de Santa Justa, assumiria a fazenda. José Alves foi Coronel da Guarda Nacional, e recebeu o título em 1886. Com arquitetura original, a Santa Justa, uma das mais belas propriedades rurais, foi salva da ruína pelo atual proprietário. A fazenda não está aberta a visitação.


Localização: Rodovia RJ 151, 2º distrito, Manuel Duarte

Fazenda Santa Rosa - Valença RJ

A Santa Rosa foi fundada no início do séc. XIX, e teve suas atividades agrícolas e instalações ampliadas no decorrer do século. O primeiro fazendeiro a investir na propriedade foi Eleutério Delfim da Silva, que comprou a Santa Rosa em 1839. Já na segunda metade do séc. XIX a fazenda passou pelas mãos de João Pereira Darrigue Faro, Antônio Vieira Machado, e do Comendador Manoel Antônio Rodrigues Guião, até ser adquirida em 1871 por Vito Pentagna. Além de produzir café, açúcar, milho, e algodão, o senhor Vito Pentagna, importou de um castelo da Inglaterra um engenho completo, e deu inicio à produção da cachaça. Há três gerações a família Pentagna Guimarães mantém intacta e extremamente bem conservada a magnífica fazenda. O casarão preserva sua construção original, os mobiliários da época e o engenho ainda é movido por uma roda d’água de oito metros de altura. A Cachaça Santa Rosa é a única do Brasil produzida em alambique de cobre que é 100% isenta de resíduos deste metal, furfurol ou óleo fúsel.

O acesso para a fazenda Santa Rosa fica à esquerda da rodovia RJ-145, cerca de um quilômetro após o bairro do Cambota, no sentido de quem vai da cidade de Valença para a de Rio das Flores.